21 julho, 2009

SSS... [silêncio?]

Baía de São Marcos em São Luís
Independentemente de qualquer outra questão, admiro quem sabe escrever... Entretanto, sei que quem sabe escrever está longe..., muito longe de saber tudo e de ter sempre razão. O SER LETRADO sempre estará abaixo do SER... SEMPRE! Deixo aqui, portanto, uma homenagem a minha avó - que feneceu aos noventa e seis anos -"analfabeta e pouco letrada". Uma das mulheres mais inteligentes, sábias e honradas que conheci. Minha fascinação por ela se dá por um único e especial motivo: ela me ensinou - sem dizer nada - a, de fato, fazer o bem sem olhar a quem [não digo que aprendi, longe disso!!! Preciso - sempre - voltar às "lições de casa"]. Esforçada, eu sou!... Bem, se o leitor amigo acha que isso nada tem a ver com política, se engana!! É tudo o que falta!! Falta fazer o bem [comum] sem olhar a quem [não apenas aos amigos e parentes; tampouco a si próprio!]. Ah... eu amo e odeio política!!! Amo e odeio o discurso!! Amo e odeio a palavra [humana] escrita ou falada!! Posto ser arma perigosa - pode levar a óbito por assassinato ou suicídio...
Ah, Sêneca... Ah, Senado... Ah, Sarney...
O post abaixo é uma reedição.
Taninha Nascimento
Olá, amigos... Crise é uma assunto "velho" e o artigo do início do ano, mas achei que Sarney se colocou de maneira poética e trouxe informações interessantes que passam despercebidas. Por isso , a postagem. Beijos e, aproveito para agradecer aos amigos as palavras de conforto e carinho. Eu estou "bem"... "Bem..."
Muito obrigada.
Taninha
*****

A crise na janela - José Sarney
Ano novo, dores de cabeça novas. Vim passar o Natal e o fim de ano em São Luís. Minha casa tem uma vista para o mar, de frente para a baía de São Marcos, onde ficam fundeados os navios que vão para o porto da Madeira, da Vale do Rio Doce, ou Itaqui, terminal de carga geral. Um dos meus hábitos, ao levantar, sempre foi contar os navios fundeados. Chegaram a mais de 30, e nos davam euforia pelo desenvolvimento do Estado. São Luís é hoje o segundo porto do Brasil, pois, com sua posição estratégica e profundidade, pode receber navios de qualquer tonelagem. Agora, abro a janela e vejo, em vez dos 30 navios, apenas um solitário barco envolto na bruma de sal que levantam do mar os ventos alísios ainda presentes neste dezembro sem chuvas. Meu neto, vendo-me com os cotovelos na janela, olhar distante, me perguntou o que observava. Respondi: “Uma coisa de que muito se fala, mas nunca tinha visto: a crise.” Ela fez o porto parar e os navios desaparecerem. Pelo Maranhão, exportamos mais de 110 milhões de toneladas de minério de ferro in natura e em pelotas, alumina e alumínio, além de soja, milho, óleos vegetais refinados, arroz e babaçu. É o terceiro saldo de exportação da região, a contribuir para os bons números de nossa balança comercial. Para que esse volume seja movimentado, há um apoio logístico de estradas de ferro, dezenas de comboios imensos de 200 vagões rodando dia e noite, milhares de operários, lavra, energia e estradas.O Estado do Maranhão tem hoje a melhor infraestrutura da Região Nordeste, com a maior fábrica de alumínio do mundo, da Alcoa, e três importantes estradas de ferro: a de São Luís a Teresina, no Piauí, de 450km; a que vai a Carajás, no Pará, de 860km; e a Norte-Sul, que atravessa todo o Maranhão e passa para o Estado do Tocantins, até Araguaína. Foi preciso vir aqui para ver pela janela aquilo que os economistas viram: a crise. Devemos vigiá-los e fiscalizar os remédios que eles prescrevem. Se falharem, eles que treinem o corpo para ter agilidade parecida com a do Bush, a esquivar-se dos sapatos no Iraque.Melhor Cinderela com seu sapatinho encantado. O príncipe, todos acham que se chama Barack Obama. Ah! Meus navios, quando voltarão?
Jornal do Brasil (RJ) 02/01/2009
Fonte: Academia Brasileira de Letras
Postado por Taninha Nascimento às Sábado, Janeiro 31, 2009

5 comentários:

WELLINGTON GUIMARÃES disse...

ERUDIÇÃO NÃO TEM NADA COM INTELIGÊNCIA. UM ERUDITO BURRO NÃO É RARO. BEM COMO UM HOMEM RÚSTICO INTELIGENTE. A QUESTÃO É: O QUE SER INTELIGENTE? QUEM É?
TENHO A RESPOSTA, ALIÁS, PRA TUDO TENHO UMA RESPOSTA, OU UM CONSELHO, OU UMA RISADA, OU TUDO JUNTO. INTELIGÊNCIA É NÃO TENTAR PARECER INTELIGENTE, NÃO DISCORDAR POR BIRRA, FALAR POUCO E OUVIR MUITO. COMER POUCO SAL, CRER EM CRISTO, NÃO VER TELEVISÃO, USAR CAMISINHA, NÃO BEBER, NÃO SER DEMASIADO CURIOSO, POIS TODO MUNDO SABE, E A CIÊNCIA CONFIRMOU: A CURIOSIDADE MATOU O GATO.

Taninha Nascimento disse...

Oi, Well!

Feliz com a sua visita! Muito Obrigada!

De fato, inteligência nada tem a ver - ou não tem a ver completamente - com erudição. Até porque existem variáveis para a própria inteligênca...

Na verdade, são sete os tipos:

A Lingüística, onde a palavra é tudo;o fundamental. Pessoas com esse tipo de perfil são talentosas nas linguagens escrita e falada; expressando-se ou compreendendo: redatores, professores e conferencistas, por exemplo.[TIPO A]

A Lógico-matemática com os talentosos para o raciocínio; investigação... Com a facilidade em lidar com números como característica principal. Pessoas assim, podem ajudar tanto a advogados quanto a contadores. [TIPO B]

A Visual-espacial que se manifesta em quem sabe lidar com a imagem - para decodificá-la rapidamente ou para conseguir visualizá-la ainda que não esteja impressa. [TIPO C]

A Musical, com os que têm facilidade para identificar sons. Pessoas assim, podem ser um talento musical, ou ainda, um engenheiro de som... Algo como a pessoa enxergando através dos sons. Essa, eu queria ter...rsss. [TIPO D]

A Corpóreo-cinestésica, onde corpo é a ferramenta... o instrumento... Nesta, o contato físico é básico. Valendo muito para atores, atletas e , também, para mecânicos - os que usam a habilidade para fazer consertos. [TIPO E]

A Interpessoal, onde se tem grande facilidade e prazer em se relacionar com as pessoas. O indivíduo dotado, conhece bem o outro e sabe como tirar de cada um o que precisa. Os líderes, gestores, relações públicas têm tal característica [perigosa nos políticos e [ou] nos mal intencionados...] [TIPO F]

A Intrapessoal - Nesta, o indivíduo se conhece muito bem! Seus limites e possibilidades lhes são claros, tendo capacidade de automotivação. Reservado, ele também é consideradado um bom ouvinte - próprio dos psicólogos, gurus e filósofos... [TIPO G] Queria essa também!!!

É por isso, Well, que não podemos - na escola principalmente - deixar de oportunizar as crianças. Trazendo-lhes - através de inúmeras atividades - possibilidades de se perceberem inteligentes !! Pois, com certeza, são!

O indivíduo rude, também tem a sua inteligência, é óbvio! E esta, o faz um genuíno gênio dentro de seu contexto de vida.


Mas, queria ressaltar os perigos da "TIPO F"! Esta tem muito a ver com o meu post...
Todo mundo sabe que se pode usar a inteligência para o bem ou para o mal, não é?? Pois é...


Beijos, Well! Esteja presente!

Taninha

Taninha Nascimento disse...

Ah!!! Deixei de falar na INTELIGÊNCIA EMOCIONAL. Todo mundo tem sabido de sua existência e de sua importância. Esta envolve:

- percepção das emoções : o indivíduo dotado, percebe com facilidade a variação e mudança no estado emocional do outro;

- uso das emoções : onde, para facilitar o pensamento e o raciocínio, o indivíduo dotado emprega as informações emocionais ;


- entender emoções: o indivíduo capta com facilidade as variações emocionais - nem sempre evidentes...

- controle [e transformação] da emoção: – aptidão para lidar com esse sentimento...

Controle é aspecto mais comumente identificado da inteligência emocional - às vezes falta na gente, né???


Beijos,
Taninha

KA disse...

Taninha....
Sarnei era da Arena, apoiou a ditadura, foi beneficiado pela doença de Tancredo e conseguiu espaço na "Nova República". Veja:

Qua, 22 Jul, 07h40

Uma sequencia de diálogos gravados pela Polícia Federal (PF) com autorização judicial, durante a Operação Boi Barrica, revela a prática de nepotismo explícito pela família Sarney no Senado e amarra o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), ao ex-diretor-geral Agaciel Maia na prestação de favores concedidos por meio de atos secretos. Em uma das conversas, o empresário Fernando Sarney, filho do parlamentar, diz à filha, Maria Beatriz Sarney, que mandou Agaciel reservar uma vaga para o namorado dela, Henrique Dias Bernardes. Em conversa com o filho, alvo da investigação, Sarney caiu na interceptação. Segundo a gravação, o senador se compromete a falar com Agaciel para sacramentar a nomeação. O namorado da neta foi nomeado oito dias depois, por ato secreto.


Segundo a PF, a mobilização da família começa na tarde de 30 de março de 2008, quando a neta do senador liga para o pai, indagando se não dava "pro Henrique (seu namorado) entrar na vaga". Bernardo Brandão Cavalcanti Gomes, irmão de Bia por parte de mãe, acabara de pedir demissão do Senado, onde estava desde 2003. "Podemos trabalhar isso, sim", respondeu Fernando à filha.
........................

Foram quatro dias de troca de telefonemas até o assunto ser resolvido. No terceiro dia, Bia liga para Fernando. Diz que o irmão, de saída do Senado, já tinha ido até Agaciel, conforme orientação do pai. O ex-diretor não ficara com o currículo do namorado, repetindo o discurso de que era preciso, primeiro, autorização de Garibaldi. Fernando recorre, então, a um atalho: "Vai lá em casa hoje à noitinha, e entrega pro ajudante de ordem do seu avô, ou o Picollo ou o Aluísio, o currículo do Henrique", orienta. A neta entende que era preciso de uma mãozinha do avô.

Sarney

No dia seguinte, 2 de abril de 2008, quarta-feira, Fernando pega o telefone e liga para um dos ajudantes de ordem de Sarney, Aluísio Mendes Filho, e explica a situação. Ele queria que o pai desse a ordem a Agaciel para efetivar a nomeação.

A explicação de Fernando é o resumo de uma confissão do nepotismo: "O irmão da Bia, quando papai era presidente do Senado, eu arrumei um emprego pra ele lá. Ele agora tá saindo e eu liguei pro Agaciel pra ver a possibilidade de botar o namorado da Bia lá, porque me ajuda, viu, é uma forma e tal de dar uma força pra mim. E o irmão tá saindo, é uma vaga que podia ser nossa." No fim, ele diz o que faltava para a nomeação: "Uma ligação de papai pro Agaciel."

Menos de uma hora depois, o próprio Sarney liga para o filho. "Olha, você não tinha me falado o negócio da Bia", protesta. Na visão do senador, a demissão não deveria ter sido solicitada até que a nomeação do namorado de Bia estivesse resolvida. "Mas ele (Bernardo) entrou logo com um pedido de demissão", reclama. Sarney pergunta: "Já falou com Agaciel?" Recebe uma resposta afirmativa e promete interceder. "Tá bom. Eu vou falar com ele."

A conversa entre pai e filho se deu às 10h32 de 2 de abril, segundo a PF. No dia 10 do mesmo mês, foi assinado o ato que nomeou Henrique, namorado de Bia, para assessor parlamentar 3, com salário de R$ 2,7 mil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

======================================

Então, Taninha, para eles verem ou não navios é apenas um sentido poético. Agora quem fica mesmo sem a vêr navios é o POVO!

Ficamos indignados com a safadeza e o trabalho em causa propria.

Abraços

Taninha Nascimento disse...

Oi, KA!

É isso... Quem sempre vê a crise da janela e, bem de pertinho, é o povão...

Essa questão do nepotismo é muito, muito antiga e está arraigada àqueles que "só enxergam o próprio umbigo" e abusam do poder.

Pra mim - embora saiba que o termo está diretamente ligado ao serviço público - a questão é ética e está realacionada a valores morais e senso de justiça que faltam no serviço público e fora dele...

A maioria quer puxar a brasa para a própria sardinha... Não importa a capacidade, importa o laço - seja ele qual for!

Às vezes, inclusive, se favorece esperando um retorno ou, por medo de retaliações ...
O sujeito não quer "se complicar" e sede às pressões - a famosa troca de favores [velada ou não].

Então, esse termo pra mim, e super abrangente mesmo...

Eu, sinceramente, me orgulho de ter ingressado no serviço público através de meus esforços - ou seja, por concurso. Me orgulho, também, de me sentir culpada por usufruir de meus direitos estatutária. Me orgulho de sofrer e me sentir culpada por precisar - e precisar muito - de licenças médicas, por exemplo... [usufruir do que não se tem direito, isso sim, é vexatório...]

O senso de justiça falta em toda parte e em toda gente - desde sempre... Não se julga por justiça e sim por conveniência... Vemos que muitos apontam erros desejando estar naquele lugar ou posição para , na verdade, errar muito mais. Essa é a verdade...

Voltando ao Sarney, confesso da minha decepção. Tenho lido e sabido de coisas do "arco da velha".

Esse meu post quis apenas mostrar o óbvio: caráter e ética devem falar mais alto na criatura humana, impulsionando as ações; não importando o seu grau de instrução ou posição na sociedade.

Isso deveria resumir o quem vem a ser POLÍTICA - não só a pública.

Taninha

23 de Julho de 2009 07:46