11 abril, 2010

Abril...

... E, uma semana depois, o RJ amanhece com uma greve de ônibus!! Ninguém merece... É o cúmulo da falta de senso... Sem falar em multas por se tentar sobreviver ao "dilúvio"...
Inacreditável. [12/04]


     Tenho escrito pouco. Em meu blog de poesias, muitas repostagens... A sensação é de um turbilhão de bolhas de sabão nas idéias: aparecem e papocam - somem.
     Aqui, por exemplo, tenho o desejo de escrever sobre assuntos vários. Mas não consigo concluir. Enfim, um misto de excitação e desânimo... 
     Dia oito do corrente mês, fiz aniversário . E, o mês de abril, comporta muitas [outras] datas importantes ou absolutamentes desimportantes - dependendendo do ponto de vista:




01 – Dia da Mentira [Vá lá, uma homenagem aos pinóquios da vida pública e privada...]

02 – Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil [Bacana!]

07 – Dia Mundial da Saúde [ À saúde!]

08 – Dia Mundial da Luta Contra o Câncer [ Dia do meu aniversário!]

13 – Dia do Beijo [hehehe, legal... Vale lembrar que Judas beijou Jesus...]

14 – Dia Pan-Americano [como assim?]

16 – Dia Nacional do Lions Clube [Hm... ]

18 – Dia do Amigo [Ué, será que está certo? Não é 20 de julho?]

19 – Dia do Índio [ Ah, os índios. Só lembrados assim...]

21 – Dia de Tiradentes [ Puxa... É até feriado!]

22 – Dia da Força Aérea Brasileira [ Legal... ]

22 – Dia do Descobrimento do Brasil [ Sério?]

22 – Dia do Planeta Terra [Uau... Bacana!]

23 – Dia do Escoteiro [ Puxa, sei que é importante, mas só me remete aos filmes americanos...]

23 – Dia Mundial do Livro [UAU!]

26 – Dia do Goleiro [ Os frangueiros também podem se sentir homenageados]

27 – Dia da Empregada Doméstica [ Bem lembrado!]

27 – Dia Mundial do Teatro [Bacana!]

28 – Dia da Sogra [hehehe...]

30 – Dia Nacional da Mulher [ Ah... Dia 8 de março é o dia internacional....]
 
                                                                                       
                                                                                     

      Então... Continuando a falar do mês de abril, que começou de maneira trágica: consequencias das fortes chuvas, fico sem palavras - pra variar. Mas, o que dizer diante de um cenário como este? Eu sei que não foi uma chuvinha. Foi algo que à NASA causou espanto pelas imagens das nuvens sobre o Rio de Janeiro. Melhor não entrar no mérito da questão por esse viés da previsão, mas permissão para se construir lares em cima de lixões - como ocorreu no Morro do Bumba - e ainda fazer benfeitorias no local é de matar. Pelo amor de Deus! A coisa é de um absurdo tão grande que comentar é quase que aplaudir. Acho que, por isso, "alguns muitos" silêncios... 

Foto extraída do jornal A Tarde On Line 

[Morro do Bumba com  - ao fundo - a emblemática foto do que restou do quarto de uma casa que foi abandonada pelos moradores momentos antes do desabamento.]


     Não estamos preparados para pequenas nem grandes tragédias. Nem para as nossas, pessoais. Isto é fato. Então o que fazer quando estas se abatem sobre nós? Não sei. Eu só sei que até Deus manda que façamos a nossa parte e dá exemplos de se "construir sobre a rocha". Não sobre areia, barrancos ou tampouco sobre lixões. [Rio tem 18 favelas que cresceram sobre lixões]
     Enfim, a conta é alta. Preço de vidas. Quem vai pagar? [O prefeito Eduardo Paes anunciou a remoção imediata de famílias]. Não me causaria espanto ver o dia da forte chuva nos próximos calendários de abril - dia 6 - como homenagem aos sobreviventes - ou mortos - da enchente no RJ... Me [nos] poupe...




Ah, sim. Ja ía esquecendo... Um poema que toca em alguns


Até que ponto...
... o ponto de partida
tem um ponto de
chegada

Um toque...
... na flor com espinhos
não representa
uma furada

O limão ...
... azedo
dá pra fazer
a "tal limonada"
A chuva...
... cai trazendo
esperança e
não desgraça?

Até que ponto...
... se dá
sem esperar
nada?
Até que ponto?
Não sei....

... Mas,
se descobrir,te conto...

... O conto...
... Que ...

... quando se conta,
aumenta
um ponto
...

[Por Taninha Nascimento]



Assista ainda:



[O pior é que o risco não acabou... A cada chuvisco o medo nas áreas de risco, continua...]




Por Taninha Nascimento


Leia a reportagem mais recente sobre as chuvas no estado do Rio de Janeiro [12/04]


Imagens copiadas do FESTER BLOGER 
Visite o blog e veja mais fotos.
   

8 comentários:

Mirse Maria disse...

Muito boa a postagem, Taninha!

Faltou dia 25 de abril, aniversário da Hercília.

Adorei o poema.

Mas não consegui ver o vídeo até o fim.

Beijos

Mirse

Taninha Nascimento disse...

Oi, Mirse!

Rsss!!! Verdade!!

Quanto ao vídeo, confesso que tb não consegui assistir até o fim. Sofrimento demais...

Obrigada por vir e comentar. Bjs!

Wilson Torres Nanini disse...

Foi uma das postagem mais emocionantes que vi nos últimos tempos. Poema, textos, fotos, vídeo... Realmente, cada vez que contamos um conto, aumentamos um ponto de espanto.

Forte abraço!!!

Taninha Nascimento disse...

Obrigada, Wilson.

Todos os meios de comunicação já massificaram o assunto. Mas, como não falar sobre... Não é mesmo? A nossa perplexidade ainda é grande.

Um abraço!

Jayme Ferreira Bueno disse...

Taninha,
Infelizmente essas catástrofes têm acontecido por todo o Brasil. Foi em Santa Catarina e agora no Rio.
Um tanto é culpa de fenômenos naturais, mas muito se deve anós, humanidade.
Estamos sabendo cuidar do que a natureza nos proporciona?
Temos sido responsáveis por nós mesmos e pelos outros?
Que esses fenômenos não continuem a nos atingir, mas para isso primeiro teremos que fazer a nossa parte.
Um abraço a todos.
Jayme

Taninha Nascimento disse...

Olá, prof. Jayme!

Perfeitamente. E, a nossa parte, vai de atitudes simples de cidadania - como não jogar lixo na rua e etc. - até às mais complexas como planejamento arquitetônico e infraestrutural para as cidades.

O RJ, por exemplo, cresceu e continua a crescer de maneira desordenada´e mal planejada. Há ainda bairros com enormes áreas sem grandes ocupações. Entretanto, como são afastados do Centro e Zona Sul, as pessoas relutam em morar por lá. O que é muito compreensível, pois a locomoção para seus locais de trabalho fica mais custosa em todos os sentidos.

Dia desses, assisti a uma reportagem que falava sobre a cidade de Londres, que encontrou uma maneira bem interessante de acabar com este problema. Lá, segundo a reportagem, pobres e ricos dividem o mesmo bairro. Tipo; numa calçada um prédio de classe alta e na outra um para pessoas de baixa renda. O resultado foi muito bom, pois dessa forma, tudo se torna mais barato na medida que o local já tem rede de esgotos, luz, coleta de lixo, etc. As pessoas, gastam menos dinheiro e tempo na locomoção e também "desafoga" a saúde. Claro, menos doenças por motivos óbvios. O que achei muito bacana e genial é que diminuiu consideravelmente a questão da violência e tráfico de drogas. Claro! Todo mundo de olho e pouca chance de fazer "esconderijos".

Para se morar num prédio assim, os moradores precisam ter "bom comportamento", ou seja, precisam ter noções importantes de cidadania.

Achei legal, também, que o aluguel é bem baixinho e as famílias podem morar o tempo que for preciso e, ainda, passar o imóvel para parentes em caso de morte. É quase como ser proprietário.

Enfim... Achei sensasional e inteligente saída. Até o grande números de mendigos que se espalhavam por toda a cidade, tal medida alcançou e minimizou consideravelmente o problema.

A gente bem que poderia tentar por aqui, né...?

Grande abraço, Prof.!

Márcia de Oliveira disse...

Taninha,

Maravilhoso é entrar neste blog e me deparar com a imagem de nossa querida diva da Literatura cearense (e brasileira!), Rachel de Queiroz, neste que é o ano de seu centenário. Que lindo! Além, é claro, de seu requintado bom gosto no layout da página, nas imagens e, evidentemente, na escolha dos textos. É sempre um grande prazer passear por este imenso jardim de cultura, informação e discussão. Prometo voltar a colaborar em breve. Também devo confessar minha tristeza, preocupação e indignação com o que acontece no estado do Rio de Janeiro (cartão-postal de nosso país). Desejo que o estado possa se reestabelecer (na medida do possível)rapidamente, e que não só o RJ, mas todo o Brasil, um dia, ainda possa ter um começo de ano em que os noticiários não exibam as mesmas notícias do ano passado. Este é o meu desejo. Parabéns pelo post!

Grande abraço desta amiga, que muito te adora e te admira.

Tania Nascimento disse...

Oi, Marcinha!!

Muito obrigada, querida!!

A responsável pelo novo layout é a jornalista Viviane Souza - também da nossa equipe.

Também te admiro e te quero muito bem!!

Estaremos aguardando seu próximo post!

Bj grande.