17 agosto, 2009

Família de Sarney Usa Imóveis Pagos por Empreiteiras

Há três décadas, a família Sarney tem como endereço em São Paulo o edifício Solar de Vila América, situado na Alameda Franca, nos Jardins. Até 2006, era um apartamento apenas. Hoje, além do apartamento número 82, comprado em 1979, a família tem à sua disposição outras duas unidades. Os apartamentos 22 e 32 foram comprados há três anos. São usados pelos Sarney, mas estão registrados em nome de uma empreiteira, que cuidou da negociação e pagou os imóveis. As informações foram publicadas neste domingo (16), no jornal "O Estado de S.Paulo".
A empreiteira é a Aracati Construções, Assessoria e Consultoria Ltda., cujo dono é o empresário Rogério Frota de Araújo, amigo dos filhos do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). De acordo com os registros da empresa na Receita Federal, a Aracati - cuja razão social foi formalmente alterada para Holdenn Construções, Assessoria e Consultoria - tem hoje como principal nicho de negócio o setor elétrico, área do governo federal em que Sarney exerce influência. Há dois anos, a empresa começou a atuar em projetos de construção de usinas termoelétricas.
Em um dos apartamentos, o 22, mora um neto do presidente do Senado, Gabriel José Cordeiro Sarney, filho do deputado Zequinha Sarney (PV-MA). O outro apartamento, o 32, costuma abrigar assessores e convidados dos Sarney, mas também hospeda a família. Em junho passado, por exemplo, foi utilizado pelo próprio senador, em viagem a São Paulo para acompanhar a recuperação da filha, Roseana, operada para correção um aneurisma cerebral.
(FONTE - ESTADO)

6 comentários:

Taninha disse...

Oi, Cibele!

A pressão está absurda... Até quando o Sr. Sarney vai suportar?

Até quando vai ser interessante para o governo defendê-lo?

Até quando esse "cacique" vai querer o apito?

A gente sabe, né... "Se não der, pau vai comer!"

Bjs!

Rodrigo Araújo disse...

Eu queria muito que o Sarney pegasse uma rasteira do Senado.

O problema é que ele quer dar uma de Roberto Jeferson e arrastar uma moçada com ele, daí os senadores ficaram todos cabreiros...

Seria uma boa: a CPI do Senado.

Marcelo Novaes disse...

Cibele,



Sarney é o emblema de uma cambada que lhe faz companhia, nos fins e nos meios. A proporção de homens "relativamente corretos" no Senado tem de mudar drasticamente para alguma melhoria sensível nos padrões da "Casa". Sarney reclama do que a "imprensa" deste país faz. Culpa a janela por mostrar a paisagem. Ontem, vendo o Senador Aloísio Mercadante (alguns grafam Aloízio, mas tanto faz), sujeitinho que nunca mais terá um voto meu, eu o vi ardir os velhos sofismas do Governo quando indaga uma depoente: "cadê os documentos?!". Com sofismas assim, é que deixam escapar Daniel Dantas, renan Calheiros e outros. Máfia e bandidagem não passa recibo... No país da burocracia, usam "falta de papel" comprovando denúncias como álibi. E mais, Aloízio Mercadante, cabra safado e malandro, usou outro sofisma para acusar Lina Vieira de "prevaricação" (mentira): se o encontro com Dilma foi sigiloso, e se ela não houvera dito a ninguém, como a folha chegou a ela?! resposta de Lina: por investigação. Vieram confirmar a investigação, e ela corroborou as informações. Para Aloízio, cabra safado, isso configuraria prevaricação, porque o pseudo-débil agora, por conveniência, parece duvidar do jornalismo investigativo, o que rastreia pessoas, encontros e endereços. Para ele, o cabra safado, só as informações da própria Lina (ou alguém que ela omitira) poderiam viabilizar a investigação da Folha de São Paulo. Ou seja, primo-irmão do raciocínio do Sarney sobre a não-procedência das reportagens investigativas do Estadão. O que precisa acontecer é a Imprensa cair matando em cima dessa gente. Cair matando. Fazer um inventário de todas as nomeações e laranjas de Sarney em 55 anos de vida pública(-secreta). São milhares de nomeações e laranjas em seu feudo. Assim com muitos. Vejamos a biografia de Inocêncio Oliveira, com açudes construídos em suas terras em Serra Talhada, poços artesianos abertos só em benefício próprio, suas emissoras de rádio locais, sua fazenda Caraíbas, no Maranhão, com regime escravo, magnífica participação em Esquema de desvio de verbas no BNDES, e ex-presidente da Câmera dos Deputados, estando já no seu nono mandato consecutivo. Com um "curriculum" destes, eu e vc estaríamos no chilindró pelo resto de nosso dias... Vaia para ele, e vaia para os vendidos de Serra Talhada e região que se vendem a este canalha. Já viram como ele lhes foi "útil" em suas benfeitorias. A culpa é dos dois lados da moeda. se o parlamento é o microcosmo da sociedade, a nossa é pífia como nossos maus representantes.








Abraços,












Marcelo.

Taninha disse...

Oi, Novaes!

Sobre o Mercadante, me impressionou demais sua falta de educação.

Quanto as provas, que corram atrás das fitas!A agenda seria a única prova? É aquilo... Os caras crescem em cima da brecha que o outro deixa. Isso sim é supervalorizar "a unha do pé da galinha pra fazer uma sopa"...


Ah... Por favor...

Taninha disse...

Rodrigo,
Obrigada pelo comment e visita ao nosso blog!

É aquela coisa " seu eu cair, derrubo um bocado também!"...

Um abraço,
Taninha

Marcelo Novaes disse...

Taninha,





Preferes que eu chame los cabras safados de Vossas Insolências?! A mim não custa nada...


Mercadante ficou abaixo da má educação. Foi ladino e acintoso. Jogou cortina de fumaça. Aliás, a Lina queria acareá-lo ali mesmo, sobre o tema Petrobrás. E o "rapaz" (melhor assim?!) declinou do convite...




Beijos,










Marcelo.